Posts

Harmonização Perfeita Entre Queijos e Vinhos

Uma das harmonizações mais clássicas que existe.

Quem nunca fez em casa uma noite de queijos e vinhos não sabe o que está perdendo.

Estes alimentos são produzidos há mais tempo do que podemos imaginar e entre eles há tanta semelhança, que chego a pensar que nasceram um para o outro.

Ambos são influenciados pelo terroir; sofrem fermentação, maturação e envelhecimento; e alguns são produzidos em regiões que recebem as certificações de origem e qualidade AOC, DO e DOC.

E para a nossa felicidade, existem tantas opções de queijos e vinhos que nos permite testar diversas combinações e nos apaixonar por várias delas.

Você verá neste infográfico 5 grupos de queijos que podem ser harmonizados com vinhos de diferentes estilos e que satisfazem a todos os gostos.

Dos mais secos aos mais doces, dos mais leves aos mais encorpados.

Espumantes, brancos, tintos ou fortificados, sempre terá um tipo de vinho para combinar com seu queijo preferido.

Regras Básicas na Harmonização Entre Queijos e Vinhos

Algumas regras básicas podem servir como ponto de partida para criar uma harmonização prazerosa entre queijos e vinhos.

Entretanto, é importante saber que ambos possuem características próprias que podem mudar de acordo com o terroir, o produtor ou o tipo de matéria prima que foi utilizado.

Além disso, leve sempre em consideração as suas preferências pessoais.

  • Queijos mais frescos e cremosos combinam com vinhos leves de maior acidez
  • Quanto mais duro o queijo, mais corpo o vinho deve ter
  • Queijos muito salgados ou ácidos podem conflitar com os taninos de vinhos tintos mais potentes (Cabernet Sauvignon, Syrah, Tannat)
  • Queijos extremamente salgados, como os azuis, fazem um belo par com os vinhos licorosos e de sobremesa. Neste caso, o contraste doce-salgado é a harmonização mais indicada

Fonte: Vida e Vinho

Harmonização de queijos e vinhos

A regra clássica

A harmonização de queijos e vinhos é tradicional e, por ser um produto isolado, sua combinação pode parecer mais fácil. Mas não se engane, principalmente quanto aos queijos fortes, que geralmente matam os vinhos. Vamos nos ater a certas regrinhas básicas, e aos princípios das combinações, que seguem textura e sabor:
Quanto mais duro for o queijo (parmesão, por exemplo), mais tânico pode ser o vinho. As uvas são suficientemente robustas para não perder a estrutura.

Quanto mais cremoso o queijo, mais acidez o vinho deve conter.

Vinhos doces ou generosos (tais como Sauternes, Porto ou Madeira) acompanham bem os queijos azuis, pois equilibram a pungência destes: o Roquefort cai bem com Sauternes, o inglês Stilton faz combinação clássica com o Porto e o gorgonzola combina com tintos potentes.

Queijos frescos e sem casca, como os cremosos, o mascarpone ou a mozarela pedem vinhos brancos leves

Vinhos tintos de classe e mesmo brancos parecem insinuar sua adequação com queijos macios, de casca rica, como Cammembert, Brie e Gouda, desde que não muito curados.

Os queijos mais suaves, do tipo Emmenthal e Gruyère, aceitam vinhos tintos pouco tânicos, suaves.

Vinhos brancos leves e aromáticos combinam com queijos de massa mole, tais como os frescos de cabra e a ricota. Você pode combiná-los com um Chardonnay, por exemplo. (Riesling ou Chardonnay), rosés ou tintos jovens e frescos, como o Beaujolais francês e o italiano Bardolino.

Massas

Existindo em diversas cores e formas, as massas combinam com todos os molhos e podem ser preparadas de mil maneiras. Um dos pratos mais amados por milhares de pessoas ao redor do mundo, elas são a combinação perfeita para um bom vinho. E é seu molho quem determina o tipo ideal da bebida.

De uma maneira geral, os molhos à base de tomate combinam com o vinho rosé; os molhos com carne são acompanhados pelo vinho vermelho; e aqueles feitos com creme combinam com o vinho branco.

Confira a melhor combinação para alguns dos molhos mais apreciados no mundo:

Massas ao molho de tomate: o tomate é um fruto de gosto sutil e muito refinado, por isso o vinho rosé (intermediário entre o tinto e o branco) é o que melhor casa com o prato. O sabor leve e frutífero de vinhos como o popular Grenache acompanham muito bem o molho.

Massas à bolonhesa: feito com tomates, cebola e carne moída, o molho à bolonhesa pede um vinho vermelho caloroso e com boa textura, como os vinhosCabernet Sauvignon.

Massas ao molho carbonara: Esse molho à base de creme, ovo e bacon combina com o vinho branco seco, mais encorpado e dotado de um equilíbrio entre acidez e gordura. O frescor e vivacidade de vinhos como os do tipoSemillonirão tornar mais suave o cremoso carbonara.

Massas com frutos do mar: assim como o vinho branco é o par perfeito para os peixes, crustáceos e frutos do mar, os pratos de massas com esses frutos são também acompanhadas pelo vinho branco, como os Sauvignon Blanc.

Massas ao pesto: feito à base de azeite de oliva, alho e manjericão, o molho pesto é intenso em aromas e rico em sabor. Ele também é o prato certo para um bom vinho branco e o tipoChardonnayé uma combinação perfeita.