Curiosidades sobre o fondue, o prato mais lembrado no inverno

Com origem da região fronteira entre a França e a Suíça, o nome fondue vem do termo francês fondre (derreter) ou fundir. Uma das versões sobre a criação desse prato é que teria nascido durante a Segunda Guerra Mundial, quando os camponeses produtores de leite precisaram se alimentar da sua produção de queijo.

Para evitar a exposição ao frio das montanhas e aos perigos dos combates, eles derretiam queijos para fazer um creme, onde mergulhavam pedaços de pão para matar a fome.

Com o passar do tempo, essa arte de espetar o pão mergulhado no queijo derretido ganhou outros elementos e outros sabores, como o fondue de carne, por exemplo, que é frito em óleo quente, ou o popular fondue de chocolate com frutas, servido como sobremesa.

A fama do fondue se espalhou pelo mundo na década de 50, quando um chefe de restaurante em Nova Iorque, especializado em comida suíça, começou a servir o prato. Atualmente, é só esfriar um pouquinho que ele já está na mesa dos brasileiros! Quem mora em Teresópolis, por exemplo, o prato é encontrado facilmente nos restaurantes da cidade, deixando o clima das montanhas ainda mais aconchegante.

Se toda essa história aumentou sua curiosidade de saborear um delicioso fondue, venha até o Recanto do Fondue.
O valor do Rodízio de Fondue, de segunda à quinta, é R$ 59,90 (promoção válida por tempo limitado).

Consumo de carne vermelha traz benefícios ao nosso organismo

A carne vermelha é fonte de vitaminas, minerais e proteínas essenciais para o nosso organismo. Nos últimos anos, fomos levados a acreditar que a alimentação ideal deveria ser à base de carboidratos, com pouca gordura e relativamente pouca proteína. Algumas se tornaram vegetarianas, outras passaram a buscar proteínas em alimentos com pouca gordura como clara de ovo, frango, peito de peru e peixes magros. Carne vermelha, jamais! Atletas, em especial, provavelmente se convenceram que consumir um bife era mais perigoso do que usar anabolizante.

Poucos alimentos são mais polêmicos que a carne vermelha. Nas últimas décadas, muitas pessoas passaram a colocar sobre ela toda a culpa de problemas alimentares. Isso levou muitas pessoas a optar por cortá-la totalmente do cardápio. Mas atitudes radicais como essa quase nunca fazem bem ao nosso corpo. Novos estudos mostram que a carne vermelha deve fazer parte de nossa dieta.

Aqui vai uma lista de como ela é importante para o nosso corpo:

. Carne é muito rica em proteínas. Também oferece ótimos teores de fosfato e aminoácidos que não se encontram em proteínas vegetais. Os vegetarianos me desculpem, mas proteína vegetal não basta para aumentar a força e manter boa performance muscular.

. Carne vermelha é rica em mioglobulina, que promove o transporte de oxigênio para as células musculares. Permite exercícios mais intensos, dá maior clareza mental e sensação de bem-estar, pois também atua como antidepressivo.

. Encontra-se na carne ácido linoléico conjugado, conhecido como CLA, que ajuda a perder peso, promove a queima de gordura e ainda aumenta as defesas do corpo contra o câncer.

Quer saber mais? Acesse a matéria completa.

QUAL É O VINHO IDEAL PARA HARMONIZAR COM FONDUE? (PARTE 3)

QUAL MELHOR VINHO PARA FONDUE DE QUEIJO?

Diferentemente do que muitas pessoas pensam, o fondue de queijo – que é a receita mais clássica desse prato – harmoniza muito bem com os dois tipos de vinhos: tintos ou brancos.

Os brancos, de maneira geral, combinam adequadamente com a receita de queijo, entretanto, nós recomendamos as versões mais secas dessa bebida, feitos a partir da chardonnay ou da Sauvignon blanc, para acompanhar seu fondue.

Para quem prefere harmonizar esse tipo de fondue com um vinho tinto, prefira os mais suaves, como os Pinot Noirs.