Macarrão de panela de pressão

INGREDIENTES

1 cebola pequena picada
2 dentes de alho picado
1 pacote de macarrão 500 grama parafuso ou penne
1/2 kg de carne moida para o recheio ou 300 g de presunto picadinho, ou ainda 1 calabresa picada
300 g de queijo mussarela picadinho
1 lata de creme de leite
1 lata de molho de tomate
1 caldo de galinha

MODO DE PREPARO

1. Na panela de pressão refogue a cebola o alho até ficar dourada.
2. Junte a carne moída e frite, se preferir a usar a calabresa frite bem junto com a cebola e o alho.
3. Acrescente a molho de tomate o caldo de galinha e o creme de leite e mexa, coloque sal e os temperos a gosto.
4. Junte o macarrão, em seguida coloque água o suficiente para cobrir o macarrão, mexa e tampe a panela espere ferver.
5. Quando a panela começar a a soltar o vapor, conte 1 minuto e desligue, deixe até soltar todo o vapor e abra.

Harmonização de queijos e vinhos

A regra clássica

A harmonização de queijos e vinhos é tradicional e, por ser um produto isolado, sua combinação pode parecer mais fácil. Mas não se engane, principalmente quanto aos queijos fortes, que geralmente matam os vinhos. Vamos nos ater a certas regrinhas básicas, e aos princípios das combinações, que seguem textura e sabor:
Quanto mais duro for o queijo (parmesão, por exemplo), mais tânico pode ser o vinho. As uvas são suficientemente robustas para não perder a estrutura.

Quanto mais cremoso o queijo, mais acidez o vinho deve conter.

Vinhos doces ou generosos (tais como Sauternes, Porto ou Madeira) acompanham bem os queijos azuis, pois equilibram a pungência destes: o Roquefort cai bem com Sauternes, o inglês Stilton faz combinação clássica com o Porto e o gorgonzola combina com tintos potentes.

Queijos frescos e sem casca, como os cremosos, o mascarpone ou a mozarela pedem vinhos brancos leves

Vinhos tintos de classe e mesmo brancos parecem insinuar sua adequação com queijos macios, de casca rica, como Cammembert, Brie e Gouda, desde que não muito curados.

Os queijos mais suaves, do tipo Emmenthal e Gruyère, aceitam vinhos tintos pouco tânicos, suaves.

Vinhos brancos leves e aromáticos combinam com queijos de massa mole, tais como os frescos de cabra e a ricota. Você pode combiná-los com um Chardonnay, por exemplo. (Riesling ou Chardonnay), rosés ou tintos jovens e frescos, como o Beaujolais francês e o italiano Bardolino.

Massas

Existindo em diversas cores e formas, as massas combinam com todos os molhos e podem ser preparadas de mil maneiras. Um dos pratos mais amados por milhares de pessoas ao redor do mundo, elas são a combinação perfeita para um bom vinho. E é seu molho quem determina o tipo ideal da bebida.

De uma maneira geral, os molhos à base de tomate combinam com o vinho rosé; os molhos com carne são acompanhados pelo vinho vermelho; e aqueles feitos com creme combinam com o vinho branco.

Confira a melhor combinação para alguns dos molhos mais apreciados no mundo:

Massas ao molho de tomate: o tomate é um fruto de gosto sutil e muito refinado, por isso o vinho rosé (intermediário entre o tinto e o branco) é o que melhor casa com o prato. O sabor leve e frutífero de vinhos como o popular Grenache acompanham muito bem o molho.

Massas à bolonhesa: feito com tomates, cebola e carne moída, o molho à bolonhesa pede um vinho vermelho caloroso e com boa textura, como os vinhosCabernet Sauvignon.

Massas ao molho carbonara: Esse molho à base de creme, ovo e bacon combina com o vinho branco seco, mais encorpado e dotado de um equilíbrio entre acidez e gordura. O frescor e vivacidade de vinhos como os do tipoSemillonirão tornar mais suave o cremoso carbonara.

Massas com frutos do mar: assim como o vinho branco é o par perfeito para os peixes, crustáceos e frutos do mar, os pratos de massas com esses frutos são também acompanhadas pelo vinho branco, como os Sauvignon Blanc.

Massas ao pesto: feito à base de azeite de oliva, alho e manjericão, o molho pesto é intenso em aromas e rico em sabor. Ele também é o prato certo para um bom vinho branco e o tipoChardonnayé uma combinação perfeita.